Jornal Meio Dia
Menu Dropdown Horizontal - Linha de Código




Mãe dizia que homens dariam dinheiro para convencer filhas a se prostituírem em São José do Rio Pardo/SP

2017-11-29



A mulher que aliciava a própria filha de 13 anos e a enteada de 12 anos à prostituição, em São José do Rio Pardo (SP), foi levada para a cadeia de Tambaú (SP), na tarde desta terça-feira (28). Em depoimento na delegacia, as meninas confirmaram a denúncia de que Kátia Pereira, de 34 anos, incentivava-as a saírem com homens.

Segundo o depoimento da enteada, a mulher dizia para ela beijar um homem de 42 anos porque ele iria sair com elas para tomar lanche e açaí e dar “coisas” para elas. Em uma ocasião ela ligou para o homem dizendo que “podia vir que as meninas estavam esperando”. Em outra ocasião, Kátia chegou a levar as meninas na casa dele, em Porto Ferreira (SP).

Segundo a conselheira Maria Betânia Soares dos Santos, a situação já ocorria há um ano, período que as meninas saíram com três homens.

A menina de 12 anos chegou a pensar que tinha engravidado em um dos programas. “Ela disse que estava com enjoo, dor de cabeça, comia e vomitava e estava com medo de estar grávida, mas essa suspeita foi descartada”, contou a conselheira.

Denúncia na internet

A situação das meninas foi denunciada nas redes sociais e compartilhada centenas de vezes. O Conselho Tutelar tomou conhecimento e buscou as meninas para serem ouvidas na delegacia.

Segundo o delegado seccional de Casa Branca, Carlos Alberto de Braga Fiúza, Kátia recebia dinheiro para incentivar as meninas a fazerem os programas. “Elas [as meninas] confessaram que recebiam dinheiro de um cliente e repassaram para a mãe. É um fato gravíssimo”, afirmou.

Assim que as suspeitas foram confirmadas, Kátia foi presa em flagrante pelo crime de submeter crianças ou adolescentes a prostituição, que prevê pena de quatro a oito anos de prisão, e levada para a cadeia de Tambaú.
A filha de Kátia está com a família do pai dela e a enteada foi entregue para a mãe. As meninas irão passar por exames e receber atendimento psicológico.

Abusadores

Agora, a polícia irá investigar os homens que abusaram das meninas. Eles podem ser acusados de estupro de vulnerável, que dá pena de oito a 15 anos de prisão.

“Todos os clientes serão investigados nos próximos passos da Polícia Civil. Um deles já está identificado e nós vamos identificar outros que eventualmente fizeram essa monstruosidade com essas crianças”, afirmou o delegado.

Conselho Tutelar já tinha investigado

O Conselho Tutelar já tinha investigado a conduta de Kátia. Em junho, ela foi denunciada por se prostituir no mesmo ambiente que as garotas frequentavam. Na época, ela disse que fazia programas por dinheiro, mesmo assim nenhuma medida protetiva foi adotada pelo órgão.

“Pode ter havido uma falha dos órgãos competentes, mas a própria criança afirmou que não queria vir ao Conselho. A própria mãe declarou que fazia programa e hoje prostituição não é vista como um crime para manter a família ”, justificou o conselheiro Márcio Calsoni.

O delegado Fiúza disse que a polícia irá averiguar a conduta tomada pelo Conselho Tutelar. “O órgão deveria ter levado [a situação] à Vara de Família e haveria um afastamento dessa mãe em relação a essas meninas. Ela perderia a guarda provisória e o juiz faria uma avaliação do que poderia ocorrer com essas crianças. Eu acho que seria adequado e talvez não tivesse chegado nessa situação”, afirmou.

Kátia foi presa nesta terça-feira e levada à cadeia de Tambaú (Fonte: EPTV)



Comentários



[voltar]    

Publicidade






















• Canais
   Notícias
   Policial
   Culinária
   Vídeos


• Serviços
   Empregos
   Denúncias
   Anunciantes
   Classificados


• Redes Sociais
   Facebook I
   Facebook II



• Expediente
   Jornal Meio Dia
   Fale Conosco


© 2014 Jornal Meio Dia